08 maio 2008

Democracia (total desabafo pré eleição)

Dizem que eu vivo num país democrático.
Mas, sinceramente, eu não sei que democracia é esta. Uma democracia que não deixa as pessoas se manifestarem, que ignora e que debocha das opiniões e das necessidades dessas pessoas que fazem parte dessa democracia. Eu vivo num país, onde as leis não passam pelo crivo da população, onde os governantes escolhem suas próprias leis, seus própios salários, e que, nem sequer permitem aos eleitores o acesso ao seu sagrado gabinete. Eu vivo num país democratico, onde as pessoas tem medo de dizer o que pensam. Que são manipuladas, bem como uma ditadura. Gostam das mesmas coisas, dizem as mesmas coisas e condenam o pensamento individual, condenam o pensamento. Vivo num lugar, onde as pessoas assistem à barbáries todos os dias, mas só se indiguinam ao ver o que a TV os mostra como absurdo.
Infelizmente, esta é a democracia do meu país. Um lugar onde as pessoas sabem que não tem como evitar os grandes problemas (cuja solução é a democracia). Um país onde dizem que os jovens devem fazer a diferença, e cria jovens para serem manequins em vitrinas, e que os ensina a não preocupar-se com o que ocorre fora de seus orkuts. Eu vivo numa cidade onde o prefeito ganha mais do que o presidente da república. Vivo num estado, onde os salários são cortados para quitar dívidas estaduais, vivo num país governado por alguém que eu só conheço graças às máscaras colocadas pela propaganda eleitoral.
Eu ouvi que os políticos devem trabalhar pra nós, e por isso devemos cobrar deles o que prometeram. Mas eu nunca empregaria alguém sem conhecer os outros candidatos. Sem ter o currículo deles na minha mão. Eu nunca empregaria, pra presidente da república, uma pessoa sem experiência no cargo, já que tanto me cobram isso, na busca que estou atrás de um emprego. Eu nunca contrataria alguém que não tem soluções viáveis para os verdadeiros problemas das pessoas. Eu não contrataria alguém que faz promessas absurdas ao invés de ligar-se aos reais problemas e situação do meio que pretende governar.
Se eu me preocupo com o futuro do Brasil? Não. Eu me preocupo com o seu presente. Eu me preocupo em saber que as pessoas deixam o poder lhes subir a cabeça. Eu me preocupo em ter um presidente como fachada e não saber, de fato, quem governa. Eu me preocupo com o mundo de pessoas que esta crescendo sem ter consciência de comunidade, aprendendo a suprir apenas as próprias necessidades. Eu me preocupo com a falta atual e real de educação, de saúde, de qualidade de vida. Pouco me importa quem será o próximo presidente, ele também não terá pulso algum pra governar este país. Pouco me importa saber de quem partido ele diz que é. Pouco me importa a sigla que ele vai usar, ou o sociólogo famoso que ele vai citar. Pouco me importa os livros que ele leu, ou a direção política que ele tem.

Me preocupo com um país se se ergue em mentiras. Um país que se vende por tão pouco, me preocupo com crianças que são vítimas da violência por não terem opção, por pessoas que têm valores tão vazios, tão fúteis, que me fazem entender porque ninguém procura uma solução pra tudo isso. Não te esqueça que vivemos numa democracia mentirosa, que não te ouve, e nem está interessada nisso. Uma democracia que te manipula, e que não te pergunta o que você acha. Uma democracia que te enche de novelas e de polêmicas imbecis pra não te deixar pensar. Uma democracia que não te deixa pensar em novas formas de resolver problemas, que apenas repete aquele monte de frases "clichê" que já nos engana a tanto tempo.

Um voto é uma parte pequena e não importa que você vote consciente. A grande maioria da população não estará interessado em pensar em alguma pessoa realmente eficiente pra te governar, não está interessado em conhecer as pessoas que estão por trás dos partidos, ou das siglas, ou dos paletós importados, ou dos roteiros prontos pra ele ler. Eu escrevi este texto, pra te pedir um coisa muito importante. Por favor. Torne as coisas certas na sua vida. Não tome o governo como exemplo. Seja uma pessoa descente. E eu não digo isso por ser anarquista. Eu digo isso, porque ninguém vai cuidar da sua saúde e da sua segurança. Faça as coisas acontecerem sem prejudicar a ninguém, torne a sua vida menos absurda. Dê bom exemplo. Ninguém fará isso por você...

Claro, e, na medida do possível, sim, vote consciente.
Quando você deixa uma pessoa te governar, certamente ela fará isso por ela, não por você.

Gabriela Moroni


(será que eu vou ser presa??)

3 comentários:

Vanessa disse...

Oie...


Sabe eu nunca fui presa quando berrava na rua, duvido que vai ser por escrever no blog. Ainda mais pq esse pessoal não lê =P

bom vivo te dizendo o que penso, e não foge em muito do que vc escreveu (roubando o post) E spbre futuro, não sei se o que vem será de boa qualidade pq se depender do que está vidno por ai, dos atuantes do presente, estamos ralados!

Somos uma pequena maioria num pais de surdos, cegos e mudos. Em vez de reis somos apenas os excluidos, afinal pensamos e não vomitamos depois da janta.

Votos? pra grande maioria nesse pais e n digo no nordeste, digo em todo ele, isso se chama cesta básica de um mês, contas pagas em um mês, ou seja o nome é "pequenos favores".

isso que é a nossa democracia...

beijokas

GuiKamp disse...

Olha, se vai ser presa ou não... não sei.
Aqui, hoje, tudo é possível. Mas se for ou não, que esse teu texto se espalhe, que inicie-se uma revolução silenciosa, através de textos assim, manifestações de qualquer tipo. O importante é não sermos "abafados". Nunca deixemos de expressar nossas opiniões, sentimentos, vontades. Só assim algum dia alguma coisa vai mudar. é o mínimo a se fazer.
Parabéns! coisa mais linda esse texto, de tatuar nas costas.
=D

benderluks disse...

Eu fiquei com vontade de te prender sim...
Baita texto Gabi, sinceramente, subiu e muito no conceito, hehe.
Três destaques: a preocupação com o presente, mais do que com o futuro; o presidente como uma fachada; e a analogia com a ditadura, com a qual concordo plenamente, é uma ditadura diferente das militares mas é uma ditadura (no âmbito marxista se fala em ditadura do mercado ou do capital, até porque o presidente é um fantoche dos interesses econômicos do mercado; e por mais bem intencionado que seja o presidente, ele terá de se submeter a esses interesses do mercado, dentro dessa lógica "democrática"). E isso não é exclusividade do Brasil; temos aqui alguns problemas que fazem piorar a situação, mas essa "democracia" é o sistema lógico do mundo ocidental, de maneira geral.
Parabéns Gabi, texto muito bem pensado e escrito (fica cada vez mais difícil me controlar...). Eu acho que o próximo passo é não se entregar pra desilusão total, mas isso é outra história.
bjo