06 novembro 2008

Martin Luther King lá em cima diz "Yéééah!"



Só hoje meio dia consegui achar um jornal e me concentrar na notícia
da vitória do Obama! Parece incrível, mas dificilmente consigo parar
para ler um jornal. E, mesmo assim, ainda o li enquanto almoçava e
planejava o que teria que fazer à tarde. Pois bem, não fazia idéia da
popularidade deste homem, muito menos da sua fúria e vontade de
vencer...






Luther King certamente está gritando "Yéééééah!" junto com todos os
outros negros americanos que se sujeitaram a tanta coisa podre durante
tanto e tanto tempo.



Quem lê esse blog sabe que não cabe aqui uma discursão rígidamente
política, e, exatamente sem passar nem perto disto, gostaria de
escrever sobre a impressão que estou tendo de tudo isso.

Muito mais que a minha preocupação com quem seria o presidente de Novo
Hamburgo, estava a minha tensão em saber quem seria o próximo dono do
mundo, afinal, aprendi o que era capitalismo e comecei a entender toda
essa rede podre de coisas que acontecem, ainda com um cara chamado
Bush no poder. Tive muito medo do que ia acontecer, das previsões
catastróficas pós 11 de setembro, mas acalmei o faixo, quando vi que
nada ia me atingir diretamente. Eu sei que meu pensamento foi um
tantão egoísta... Mas sinceramente, foi isso mesmo que eu pensei. Hoje
consigo ver de uma forma muito mais clara o quanto isso tudo me
atingiu sim, e o quanto todo o mundo poderia estar passos à frente,
não fosse o império norte americano (e eu pareço agora um adolescente
rebelde falando!)


Obama me pareceu um cara sincero. Se ele for um hipócrita, pelo menos
sentiu na pele o que é ser discriminado. Em seu discurso ele citava
isso, e dizem, ele passou por aquela fase que os negros eram
absolutamente separados na sociedade americana. Sorte nossa. Talvez
isso o ajude a perceber o quanto tem diversidade neste mundão, e que a
América abençoada por Deus pode errar sim, como tanto já errou.

Falava-se que não se trata de uma eleição por cor de pele, mas todo
mundo sabe que foi isso que impulsionou sua vitória. E isso que fez
toda a diferença. E foi por isso que eu torci que ele vencesse e nos
governasse (!!!) (e, claro, um pouco pra ver os EUA engolindo seu
orgulho, rs!).

Agora, também tenho medo que ele se aproveite da fama de queridinho e
igualador de nações e faça merda. É um mundo inteiro colocando uma
puta responsabilidade nos braços dele. E se você acha que nada
acontece prum presidente dos States, pode ficar ligado, porque nada
acontece aos vasos podres, mas coloque lá alguém com a mente mais
aberta pra ver... (olha o papa João Paulo, apesar de eu não gostar de
papas -padres, bispos, pastores...- foi um grande cara, e levou meia
duzia de tiros. E esse papa nazista, ninguém pipocou ainda...).

Acaba sendo quase uma comparação da expectativa que eu tinha com o
Lula (apesar de que para este, eu não torcia!). Tudo muito lindo no
discurso, mas será que ele responde às expectativas? No nosso caso a
decepão foi geral... como dizia sabiamente minha colega Kassi, "se ele
não fizer o que prometeu e andar na linha, pode ir se esconder lá
junto com o Bin Laden. E pode mesmo.

Li também sobre a expectativa dos outros países em relação ao cara. É
de dar frio na barriga, no mínimo. E o cara lá, no salto, na pose,
falando bonito uma barbaridade. O discurso foi foda, a expectativa é
foda, o povo aclamando o cara foi foda. Tomara que ele não foda com o
nosso mundinho!


E, voltando ao título, e a discursão "cor de pele" (Que, pra mim,
merece o sufixo "foda-se"), vai aí uns trechos do discurso "Eu tive um
sonho", do King!

"Nós também viemos para recordar à América dessa cruel urgência. Este
não é o momento para descansar no luxo refrescante ou tomar o remédio
tranqüilizante do gradualismo.
Agora é o tempo para transformar em realidade as promessas de democracia.
Agora é o tempo para subir do vale das trevas da segregação ao caminho
iluminado pelo sol da justiça racial.
Agora é o tempo para erguer nossa nação das areias movediças da
injustiça racial para a pedra sólida da fraternidade. Agora é o tempo
para fazer da justiça uma realidade para todos os filhos de Deus."

(...)

" Não vamos satisfazer nossa sede de liberdade bebendo da xícara da
amargura e do ódio. Nós sempre temos que conduzir nossa luta num alto
nível de dignidade e disciplina. Nós não devemos permitir que nosso
criativo protesto se degenere em violência física. Novamente e
novamente nós temos que subir às majestosas alturas da reunião da
força física com a força de alma. Nossa nova e maravilhosa
combatividade mostrou à comunidade negra que não devemos ter uma
desconfiança para com todas as pessoas brancas, para muitos de nossos
irmãos brancos, como comprovamos pela presença deles aqui hoje, vieram
entender que o destino deles é amarrado ao nosso destino. Eles vieram
perceber que a liberdade deles é ligada indissoluvelmente a nossa
liberdade. Nós não podemos caminhar só. "

Genial, no mínimo!

Até!







Um comentário:

Vanessa disse...

Que 'discursão', sua debilóide? Nunca abriu um dicionário na vida?
É DISCUSSÃO!!! D-I-S-C-U-S-S-Ã-O!!!
E vê se para de falar merda. O que tu escreve não é NEM UM POUCO genial. Só em Novo Hamburgo mesmo para tu achar que é gente, né...