15 março 2007

Então vamos falar sobre preconceito.

Eu tava pensando numa maneira de escrever, hoje, de maneira extraordinário, alguma coisa de construtiva nesse pobre coitado virtual. Bom, dai eu ia escrever sobre maneiras de melhorar o mundo. É, acabei tendo a mesma reação que você acabou de ter: HAHAHAHHA!!!!
Mesmo assim, eu parei 2 seg. pra pensar a respeito e vi que de fato eu precisaria ficar uns dois anos escrevendo sem dormir! Então eu pensei em tópicos, e o primeiro deles que me veio foi o preconceito. Quando a gente é mulher, pretinha, pagã e filha única de pais separados, a gente já carrega uma bagagenzinha considerável de preconceito nas costas..

Então, o que eu acho dessa coisa toda?
Preconceito, pra mim, é o maior exemplo de regrassão possível. Não, regressão não, porque eu nunca ouvi falar de um Homo Erectus que discriminava o outro porque era do sexo oposto. O que a gente conhece é a divisão de tarefas: O homem caçava, a mulher plantava, a mulher educava os filhos, o homem alimentava o bando. A mulher percebia as mudanças climáticas, estelares e do ambiente, e o homem leva o mérito até hoje. A coisa se desenvolveu (e não evoluiu!!) de uma forma tal que eu aposto que a vó de vocês teve mil filhos, não ousava nem falar em sexo, não trabalhava fora e "deusulivre" pensar diferente do marido... Felizmente, e graças a umas pobres mau-comidas (como diria a Adri!) que queimaram seus sutiãs, num momento de recauquisse, nós estamos aqui, ocupando postos primeiramente masculinos e quaaase ganhando o mesmo que eles. Namorar um cara praticamente da campanha, as vezes me coloca a frente de situações complicadas, como mulher moderna (que sou!!!), como por exemplo a tia preocupada se eu estava empenhada em aprender a lavar o "macacão cagado de vaca" que o Maicon usa pra trabalhar... Saia justa toootal! Chá de panela é outra situação tão incoveniente quanto machista. Um monte de mulher gritando, em torno de uma pobre coitada, que tudo que vai levar dali são facas, pratos e lixeirinha de plástico. E ovos e farinha no cabelo. Vendo isso, não dá pra observar que a mulher não "evolui" mais, porque não quer!

Que mais? Ah, sim, a cor da pele. Tem gent que não entende a minha revolta e porque eu me considero negra. Tem sempre aquele olhar de misericordia e a frase "mas tu não é negra, tu é moreninha...". Seeempre tem alguém que vem me consolar. Como se eu achasse um grande problema ter 50% do meu DNA negro. E sinceramente, pré conceituar pessoas pelo tom da pele é siiiiiiim prova de ultra mega regressão! Afinal, ninguém pré conceitua ninguém por causa da cor do olho...

O próximo ponto que eu tinha citado, é o religioso. Eu não gosto muito de falar da minha religião porque a probabilidade de receber críticas (ao invés de receber perguntas!) é bem grande! Semana passada a minha profe teve a "maravilhosa" idéia de dizer, numa turma cheia de católicos fervorosos que "pagão é o contrário de cristão. Eles fazem rituais pro sol, pra lua e sacrificam animais!". Brigada, profe!! fui bater um papinho com ela e ela disse que não ia ter como explicar o que era pagão dentro daquela contexto... MAS E PRECISAVA DIZER QUE ERA O CONTRARIO DE CRISTÃO? PRECISAVA DIZER QUE SACRIFICA ANIMAIS??? Mentira é foda... Dai vai sair um monte de gente, me olhando esquisito! Tá, fala sério! To cheia de pessoas que não são capazes de aceitar que as outras pensam diferentes, que ainda tem a isão que foi imposta pela Igreja a mil anos que o que não é católico /cristão não é bom, não existe e só faz mal. Tenho que ouvir gente falando com desprezo da umbanda, que é uma das religiões mais roots que eu conheço (depois da minha, claro!!)... Infelizmente o medo de não ir pro céu ainda existe, e, chegado um momento que "a coisa parece bem feia pro mundo", todo mundo só quer saber de salvar o próprio coro e converter o máximo de pessoas possível pra conseguir ficar num bom posto na hierarquia celeste! Eu nunca fui uma catolica praticante, enquanto era, mas me lembro benzinho de uma frase que dizia: "Amai-vos uns aos outros." E aqui ninguém abriu parenteses pra diferenças de pensamento!!!

Próximo passo: ser filha única de pais separados. Mimada e coitadinha. Os pais sempre deram tudo que ela quis... Fora que ela deve ter sofrido taaaaaaanto com a separação dos pais... Mal sabem essas pessoas que eu tive que lavar muuuita louça pra conseguir algum presentinho extra, que eu montada, desmontava armários do meu quarto sem que a minha mãe ficasse sabendo. Mal sabem que cedinho eu já ia pra escola de ônibus, que o meu pai fazia eu resolver meus problemas (inclusive fazendo eu passar vááárias vergonhas), e me fazia acordar as 3 da manhã pra refazer as porcarias dos trabalhos de matemática (na qual eu nunca tiva talento nenhum!)Quanto a separação? Podem duvidar, mas eu perguntava pra minha mãe porque eles não se separavam... Quando meu pai veio me perguntar o que eu achava, nem pensei duas vezes... Fala sério...

Preconceito é a maior forma de desrespeito...
Ok, foi bem pessoal ... mas valeu pra eu expor o que eu penso... e pra exbaldar na indignação...

2 comentários:

adri disse...

concordo plenamente gabi, discriminação é uma das maiores formas de desrespeito possível. pré julgar as pessoas pelas aparências, ou pioor, julgá-las menos do que realmente são pela cor da pele, condição social, problemas, carreira, etc; eh, além de um absurdo, uma burrice. porque uma pessoa É O QUE É, essas coisas não mudam o interior e a personalidade de alguém. as vivências, o tempo, os tombos e acertos mudam; mas somos todos iguais, somos todos SERES HUMANOS (tah certo que alguns nem poderiam ser chamados assim....)

eh triste ver tanta gente ignorante, eh revoltante.

o jeito eh não ligar tanto, e mostrar pra todo mundo que ninguém eh menos que ninguém.

bjn, bom finde!

Daniel Gruber disse...

Pra uma menina tu até que falou bonito...
É que os filhos de pais separados são revoltados e precisam desabafar, eu entendo...

Tah, to brincado.

Mas tu já ouviu aquela do "o que é um neguinho com uma telha na cabeça..."?